Produção de órteses em impressora 3D: o caso da AMR

(Projeto viabilizado com recursos do PRONAS/PCD e assessoria técnica da Nexo)

A Associação Mineira de Reabilitação (AMR) é uma organização fundada em 1964 em Belo Horizonte e que possui ampla experiência na reabilitação física, social e neurológica de crianças e adolescentes carentes portadores de necessidades especiais.
A AMR é responsável pelo tratamento de 500 crianças e adolescentes com deficiências físicas causadas por paralisia cerebral e outras síndromes, além de também dar assistência e informações para suas famílias.

Um dos principais serviços oferecidos pela AMR a seus pacientes é a fabricação de órteses e equipamentos terapêuticos, que auxiliam esse público a ter melhor habilidade funcional e qualidade de vida. As órteses são dispositivos ortopédicos ou aparelhos utilizados para estabilizar, aliviar e orientar fisiologicamente partes do corpo da forma correta.

A Oficina Ortopédica da AMR distribui órteses e equipamentos terapêuticos gratuitamente às crianças assistidas pela instituição e atende também ao público particular e SUS, com a renda revertida para a associação. É a única Oficina do estado de Minas Gerais com esta característica.

Historicamente, a fabricação de órteses é um processo bastante artesanal, feito sob medida para cada beneficiário. Esse processo atual, no entanto, traz algumas limitações:

– O processo de modelagem pode ser incômodo para o paciente;

– Os modelos tradicionais tradicionais de órteses muitas vezes geram desconforto para os pacientes, além de não terem apelo estético;

– Por ser artesanal, o processo dificilmente pode ser escalável, permitindo a produção de um maior número de unidades pela oficina.

A Nexo assessorou a AMR para viabilizar uma importante inovação para a Oficina, viabilizada com recursos do PRONAS/PCD: a montagem de um laboratório de órteses 3D.

A aquisição da impressora 3D atendeu a dois grandes objetivos:

– Produzir um modelo de órtese mais agradável e bonito para os pacientes, que muitas vezes deixam de usar os modelos tradicionais por desconforto e prejudicam seus tratamentos.
– Pesquisar a viabilidade de produção de órteses, em larga escala, com menor custo e mais rapidez frente ao processo atual de produção – ainda bastante artesanal.

Assista ao vídeo abaixo para saber mais sobre o projeto:

A parceria entre a Nexo e a AMR consistiu na elaboração do projeto junto ao Ministério da Saúde, no apoio à gestão do projeto e também na prospecção dos parceiros que viabilizaram essa importante iniciativa. As empresas apoiadoras foram a Telefônica Vivo, Gerdau, Banco BMG, Cetip, Minas Ligas, Light, Riachuelo, Gasmig, ArcelorMittal e HelpFarma, além de um grupo de pessoas físicas que utilizaram parte do seu imposto de renda para apoiar a iniciativa.